Bush diz que Guerra no Iraque não aumentou terrorismo

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assegurou nesta sexta-feira em discurso pronunciado na Associação de Oficiais da Reserva dos EUA que "o terrorismo não é criado durante a luta contra o terrorismo".Bush se referiu a um relatório dos serviços secretos dos EUA que assegura que a guerra contra o Iraque criou mais fundamentalistas islâmicos e piorou, em geral, a luta contra o terrorismo.Na terça-feira passada, Bush ordenou a liberação de uma parte do relatório conhecido como "Avaliação Nacional de Inteligência", um documento conjunto elaborado pelos 16 serviços secretos dos EUA e distribuído no Congresso em abril de 2006.Nas palavras desta sexta-feira, Bush afirmou, com certa ironia, que a publicação e vazamento de parte do relatório "gerou um acalorado debate" em Washington e alguns de seus parágrafos foram citados "seletivamente", mas insistiu em que ao lutar contra o terrorismonão se cria "mais terrorismo".Por sua vez, indicou que a invasão do Iraque "não é a razão pela qual os terroristas nos declararam a guerra" e manifestou que os Estados Unidos "não estavam no Iraque em 11 de setembro de 2001".Além disso, o presidente afirmou que os desafios do século XXI para os Estados Unidos são os de "lutar contra os extremistas e apoiar os líderes moderados", relembrando os sucessos de Paquistão e Afeganistão na luta contra o terrorismo. Apesar disso,apontou alguns retrocessos no território afegão e previu uma vitória contra os insurgentes Taleban no Iraque.Bush, que se encontrou com o presidente afegão Hamid Karzai no início da semana, elogiou a decisão da ONU de tomar o comando das tropas de paz no Afeganistão. Para ele, o governo democrático de Karzai é "o início da conquista do coração das pessoas".Por último, Bush manifestou que os Estados Unidos " vão honrar a memória de todos os mortos na luta contra o terrorismo" completando nossa missão no Iraque". Esta matéria foi alterada às 15h15 para acréscimo de informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.