Bush diz que não volta atrás em plano para o Iraque

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, deixou claro neste sábado que não irá voltar atrás em seu plano de enviar mais tropas ao Iraque, apesar das hostilidades, e acusou os críticos de não apresentarem uma alternativa. O anúncio, feito esta semana, de que 21.500 soldados seriam enviados ao Iraque para tentar controlar a violência sectária no país foi recebida com bastante criticismo no Congresso. Os Estados Unidos têm cerca de 130 mil militares no Iraque neste momento. O reforço será enviado para Bagdá e para a província de Anbar. Democratas e até mesmo Republicanos no Congresso disseram duvidar que o plano funcione, dado que os aumentos de tropas passados falharam em conter o derramamento de sangue. "Reconhecemos que diversos membros do Congresso estão céticos", afirmou Bush durante seu programa semanal de rádio. "Os integrantes do Congresso têm o direito de expressar suas opiniões e de fazer isso de forma vigorosa", acrescentou. "Mas aqueles que negam dar uma chance do plano funcionar têm a obrigação de apresentar uma alternativa que tenha melhores chances de sucesso. Se opor a tudo sem apresentar nada é uma irresponsabilidade", afirmou Bush.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.