Bush é arrogante, racista e sem visão, afirma Mandela

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela qualificou nesta quinta-feira o líder norte-americano George W. Bush como arrogante e sem visão, além de sugerir que ele é racista ao ignorar a Organização das Nações Unidas (ONU) em seu ímpeto de atacar o Iraque.Mandela pediu ao povo dos Estados Unidos que organize grandesprotestos contra Bush e conclamou os líderes mundiais, emespecial aqueles com poder de veto no Conselho de Segurança daONU, a se unirem contra o presidente norte-americano."Uma potência com um presidente imprevidente e incapaz depensar de forma adequada quer agora levar o mundo a umholocausto", declarou Mandela durante discurso no FórumInternacional da Mulher.Os Estados Unidos, que indiscriminadamente lançaram bombasatômicas sobre Hiroshima e Nagasaki, no Japão, não têmautoridade moral para policiar unilateralmente o mundo, refletiuMandela. Segundo ele, "Bush está atrás de mais carnificina".O ex-presidente sul-africano pediu ao povo norte-americano queo tire do poder nas próximas eleições e saia às ruas paraprotestar.O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, respondeu àscríticas de Mandela referindo-se a uma carta assinada por oitolíderes europeus em apoio a Bush. "O presidente agradece aoslíderes da Europa que obviamente não pensam como ele (Mandela)" disse Fleischer."Por que os Estados Unidos agem com tanta arrogância?",questionou Mandela, um crítico das pretensões belicistasnorte-americanas com relação ao Iraque. Ele exige de Bush que respeite a autoridade da ONU. "Tudo o que Bush quer é o petróleo iraquiano", denunciou o histórico líder sul-africano.Ele acusa Bush e o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, TonyBlair, de sabotarem a ONU e seu secretário-geral, Kofi Annan,natural de Gana, na África. "Isto seria por que o atual secretário-geral das Nações Unidas é um homem negro. Eles nunca fazem isso quando o secretário-geral é branco", alertou.De acordo com Mandela, a existência da ONU é o principalmotivo pelo qual não houve uma Terceira Guerra Mundial e é elaquem deve tomar as decisões sobre como lidar com o Iraque. "Se há um país que cometeu atrocidades inenarráveis pelo mundo, eles são os Estados Unidos da América. Eles não se importam com os seres humanos", criticou. "Quem são eles agora para fingirem ser os policiais do mundo,aqueles que devem decidir pelo povo do Iraque o que deve serfeito com seu governo e seus líderes?", questionou.Mandela também criticou o Iraque por não cooperar plenamentecom os inspetores de armas da ONU e disse que a África do Sulapóia qualquer ação contra o governo iraquiano aprovada pelasNações Unidas.Sobre Blair, Mandela disse apenas: "Ele não é maisprimeiro-ministro da Grã-Bretanha. Ele é ministro das RelaçõesExteriores dos Estados Unidos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.