Bush e Blair se encontram em meio a situação sombria em Israel

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, ao comentar as conversações deste fim de semana com o presidente dos Estados, George W. Bush, disse nesta sexta-feira que "há poucos motivos para se ter otimismo" sobre o Oriente Médio, mesmo com os EUA intensificando seus esforços para conter o derramamento de sangue entre israelenses e palestinos.Blair e sua mulher, Cherie, chegarão ao rancho de Bush, emCrawford, no Texas, a tempo de jantar com o presidente e suaesposa, Laura. Refletindo as relações especiais entre EstadosUnidos e Grã-Bretanha, Bush convidou Blair a acompanhá-lodurante uma reunião secreta da CIA prevista para amanhã.A guerra ao terror, em especial os planos de Bush com relaçãoao Iraque, era o enfoque original das reuniões. Porém, os atuaisdesdobramentos no Oriente Médio deixou a questão em segundoplano.Ao comentar as reuniões, Blair disse que a situação parecesinistra no Oriente Médio. "Nós obviamente estaremos atrás deidéias que possam levar a um cessar-fogo", disse ele ajornalistas a bordo de seu avião a caminho do Texas. "Há poucosmotivos para se estar otimista neste momento."Em seguida, comentou: "Não acredito que Israel ou aAutoridade Palestina realmente queiram estar na posição em queestão agora."Bush não planeja falar publicamente sobre a situação noOriente Médio nem sobre suas conversas com Blair até aentrevista coletiva conjunta que os dois deverão concederamanhã.

Agencia Estado,

05 de abril de 2002 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.