Bush e Kerry lutam por legitimidade em eleição conturbada

No último dia de campanha eleitoral, o presidente George W. Bush e seu adversário, o senador John Kerry, cruzam Estados em busca de apoios de última hora, na esperança de que uma campanha sem franco favorito possa se converter em um mandato claro e incontestável. Tirando o máximo de cada minuto, o presidente Bush se lança numa corrida por seis Estados e sete paradas, do início da manhã até tarde da noite, com foco no meio-oeste.Kerry também percorre a região central dos EUA. As pesquisas mais recentes repetem a história familiar: a corrida presidencial está pescoço a pescoço em Estados, como Flórida e Ohio, que poderão decidir o pleito. Os dois lados têm exércitos de cabos eleitorais prontos para entrar em ação, além de advogados espalhados por todo o país, prontos para levar aos tribunais qualquer resultado onde a diferença de votos seja muito pequena e haja suspeita de irregularidades. "Esperamos que a eleição esteja decidida na noite de terça-feira", disse Kerry à Associated Press, "mas, dada a experiência, seria irresponsável se não estivesse preparado para proteger o direito de todos ao voto". Bush conquistou a presidência, em 2000, apenas depois que a Suprema Corte dos EUA ordenou o fim de uma recontagem da votos na Flórida.Neste ano, o presidente também espera ver um vencedor inconteste emergir das urnas já na terça-feira. "Realmente acho importante não haver um mundo de ações legais que fique no caminho da vontade do povo", declarou Bush ao programa Dateline NBC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.