Bush e Merkel discutem unidade para sancionar Teerã

O presidente americano, George W. Bush, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, encontraram-se nesta quarta-feira para discutir a unidade transatlântica diante de possíveis sanções para a contenção das ambições nucleares do Irã.Esta é a segunda visita de Merkel aos Estados Unidos em quatro meses. Os dois líderes devem discutir o Oriente Médio, Darfur e comércio. Depois de visitar Bush na Casa Branca, a chanceler irá se junta ao presidente e sua esposa, Laura, para jantar. Ela viaja para Nova York na quinta-feira para encontrar-se com empresários e retorna a Washington ainda no mesmo dia para comparecer ao baile da Comunidade Judaica Americana marcando o 100º aniversário da organização. Nenhum chanceler alemão havia comparecido a um baile da Comunidade Judaica. Bush e o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, também estarão no evento. Em suas observações, Merkel pôde falar sobre o Irã, um assunto de especial importância para a comunidade judaica depois que o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou recentemente que Israel deve ser "varrido do mapa".IrãA visita de Merkel à Washington sucede seu encontro com o presidente russo, Vladimir Putin, na semana passada. Rússia e China, membros do Conselho de Segurança com poder de veto, se opõem a sanções contra o Irã, que rejeitou o prazo do Conselho para que encerre o enriquecimento de urânio.Reino Unido, França, Alemanha e os Estados Unidos pretendem tornar a exigência para que o Irã encerre seu programa de enriquecimento de urânio obrigatória.O Reino Unido e a França, que assim como os Estados Unidos também têm poder de veto, introduziram uma resolução no Conselho na quarta-feira que permite que sanções sejam impostas caso Teerã continue a se recusar a encerrar seu programa. O chefe nuclear iraniano, Gholamreza Aghazadeh, disse que sua nação tem enriquecido urânio para produzir combustível para os reatores, o que desafia as exigências da ONU. O Irã anunciou no mês passado que enriqueceu urânio pela primeira vez.Merkel deve visitar a China no mês que vem, e em julho o Grupo de oito nações industrializadas deve se reunir na Rússia. Amizade diplomática A amizade diplomática de Bush e Merkel é forte, ainda que os dois estejam enfrentando situações políticas diferentes. Os índices de aprovação da chanceler ultrapassa os 80% em contraste com Bush, que enfrenta o pior nível de aceitação pública de sua presidência, 32%.Com o primeiro-ministro britânico Tony Blair e o presidente francês Jacques Chirac enfrentando dificuldades políticas em seus respectivos países, Merkel é hoje a figura política mais popular da Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.