Bush e ministro paquistanês discutem ataques

O primeiro-ministro paquistanês Shaukat Aziz disse estar preocupado com as relações entre seu país e os Estados Unidos após o ataque aéreo empregado na vila de Damadola, próxima à fronteira com o Afeganistão.Aziz disse em uma entrevista à Associated Press que ele e o presidente dos EUA, George W. Bush, concordaram que deve haver uma comunicação melhor entre os dois países já que são aliados contra o terrorismo.Ainda segundo o primeiro-ministro, o Afeganistão e o Paquistão irão discutir o ataque em uma reunião que ocorrerá nas próximas semana. "É um fórum adequado para discutir estes problemas", completou.O encontro de Bush com Aziz, que durou menos de duas horas, acontece em meio a um crescente número de manifestações de paquistaneses contra os EUA. Bush não mencionou o bombardeio americano, que teria como alvo o braço direito de Osama bin Laden, Ayman al-Zawahri. O presidente americano também não respondeu às perguntas dos repórteres - e muito menos às gritadas pela multidão que se encontrava no local - quando apareceu com Aziz diante frente às câmeras. Apesar do ataque ter aparentemente errado o seu alvo, o presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, disse nesta terça-feira que há indícios de que membros da Al-Qaeda foram mortos.Analistas disseram que o bombardeio também destruiu a cooperação cultivada entre os paquistaneses através da ajuda que os EUA ofereceram no terremoto que assolou a região, quando mais de 80.000 pessoas foram mortas.Protestos anti americanos no Paquistão estão chegando à sua segunda semana, mas Aziz vem tentando diminuir as tensões entre os países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.