Brennan Linsley
Brennan Linsley

Bush é o 5º entre eleitores republicanos

Bush aparece atrás do magnata polêmico Donald Trump, que lidera as pesquisas, do neurocirurgião Ben Carson, do senador Marco Rubio e da ex-executiva da Hewlett Packard Carly Fiorina

O Estado de S. Paulo

29 Setembro 2015 | 17h18

WASHINGTON - Inicialmente considerado o favorito da disputa republicana rumo à Casa Branca, Jeb Bush apareceu em quinto lugar nas intenções de voto entre eleitores republicanos na última pesquisa Wall Street Journal/NBC, divulgada nesta terça-feira, 29. A sondagem deu a ele apenas 7% e mostra que seus eleitores migraram para outros candidatos entre julho e setembro. 

Bush aparece atrás do magnata polêmico Donald Trump, que lidera as pesquisas, do neurocirurgião Ben Carson, do senador Marco Rubio e da ex-executiva da Hewlett Packard Carly Fiorina. 

Segundo análise do Wall Street Journal, Bush perdeu apoio em diversos segmentos de eleitores: entre mulheres e homens, com menos e com mais de 50 anos e eleitores pró-Tea Party, grupos de extrema direita do Partido Republicano. 

Entre aqueles que se identificam como “muito conservadores” e “totalmente conservadores”, Bush vem sofrendo sua maior perda de apoio, segundo o jornal, de 15 pontos porcentuais. Esse eleitorado tende a se identificar mais com a retórica conservadora, com foco especialmente contrário à imigração, de Trump. 

A pesquisa mostrou ainda a diminuição do “sentimento positivo” dos eleitores com relação ao ex-governador da Flórida: de 50% para 39% também entre julho e setembro. Ao mesmo, o “sentimento negativo” com relação a Bush cresceu quatro pontos. 

A pesquisa  mostrou que Fiorina foi quem mais cresceu nesse intervalo. Ela alcançou 21 % entre os eleitores que passaram a vê-la “mais positivamente”, garantindo o quarto lugar.   Segundo a análise do jornal, as desistências do ex-governador do Texas Rick Perry e do governador do Wisconsin Scott Walker também influenciaram os eleitores.

Mais conteúdo sobre:
Jeb Bush Donald Trump eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.