Bush é o primeiro presidente dos EUA a visitar o Peru

George W. Bush converteu-se neste sábado no primeiro presidente dos Estados Unidos a visitar oficialmente o Peru. Mas sua estada de 17 horas no país andido ficou ofuscada pelo excepcional reforço no esquema de segurança adotado após o sangrento atentado de quarta-feira diante da embaixada americana que deixou nove mortos e mais de 30 feridos. Ele chegou ao Peru às 16h35 (pelo horário de Brasília) de hoje desembarcando na Base Aérea de El Callao, próxima à capital peruana. Bush desceu do avião apenas 15 minutos depois, sendo recebido por uma salva de canhões. Uma das finalidades da visita que provocou protestos de estudantes (apesar de proibidos pelas autoridades) é, segundo meios políticos norte-americanos, expressar o reconhecimendo da Casa Branca ao programa de reformas democráticas e econômicas desencadeado pelo presidente Alejando Toledo. "O presidente peruano enfrenta muitos desafios e insatisfações, mas é um excelente governante assessorado por uma boa equipe econômica", definiu um porta-voz da Casa Branca. Bush vai debater com Toledo e outros chefes de Estado regionais, também presentes na capital peruana, meios para tormar mais eficiente o combate ao terrorismo e ao narcotráfico. Para garantir a segurança de Bush e dos demais mandatários, Toledo mobilizou 7.000 soldados e policiais, blindados, veículos antidistúrbios de jatos d´água, helicópteros e jatos da Força Aérea e da Marinha. Bush participou na sexta-feira de uma reunião de cúpula econômica, patrocinada pelas Nações Unidas na cidade mexicana de Monterrey. Em entrevista no fim do encontro, ele disse que o Peru poderá se beneficiar de uma possível nova ajuda militar norte-americana depois do atentado de quarta-feira. "Vamos analisar um leque de opções disponíveis para ajudar os peruanos", prometeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.