Bush e premiê paquistanês vêem continuidade na luta antiterror

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, telefonou na terça-feira para o novoprimeiro-ministro do Paquistão, Yousaf Raza Gilani, e os doisconcordaram em persistir nos esforços de combate aos militantesislâmicos, afirmou a Casa Branca. Bush ligou para Gilani horas depois de este ter sidoempossado pelo presidente paquistanês, Pervez Musharraf, umaliado fundamental dos EUA na campanha de combate ao terrorismoe que viu seu poder diminuir dramaticamente no último ano. "Os dois concordaram que é do interesse de todos continuarcom a luta contra os extremistas. Sendo assim, estamosconfiantes de que continuaremos a ter uma boa relação com ospaquistaneses a esse respeito", afirmou Dana Perino, porta-vozda Casa Branca. Na segunda-feira, a recém-eleita Assembléia Nacional doPaquistão escolheu como premiê do país, por uma ampla maioriade votos, Gilani, um importante líder do Partido do PovoPaquistanês (PPP), ao qual pertencia a ex-primeira-ministraassassinada Benazir Bhutto. John Negroponte, vice-secretário de Estado dos EUA, eRichard Boucher, secretário assistente de Estado dos EUA, estãono Paquistão para selar alianças com a nova coalizão governistado país, majoritariamente muçulmano. Alguns dos novos membros da liderança paquistanesasugeriram que se inicie um diálogo com os militantesresponsáveis por uma série de atentados ocorridos no país. Taisapelos levantam dúvidas sobre se o Paquistão continuará sendo ofiel aliado dos EUA na luta contra esses grupos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.