Bush elogia Sharon e teme pelo futuro da paz no Oriente Médio

O Governo dos Estados Unidos louvou nesta quinta-feira a figura do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon - que se encontra entre a vida e a morte-, e teme as conseqüências que a situação possa ter no processo de paz no Oriente Médio.O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, recebe atualizações constantes sobre o estado de saúde de um de seus principais parceiros e amigo pessoal no terreno da política internacional. "É um bom homem, um homem forte, profundamente preocupado com a segurança do povo israelense e um homem com uma visão de paz", disse Bush na sede do Departamento de Estado.O primeiro-ministro israelense, que sofreu uma grave hemorragia cerebral, está sedado e respira com ajuda de aparelhos após ter sido submetido a uma cirurgia de urgência.A Casa Branca informou que Bush falou com o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, com quem examinou o estado de saúde de Sharon e a situação no Oriente Médio.Até o momento, Washington se desfez em elogios sobre Sharon, mas se mostrou cauteloso em relação ao futuro no Oriente Médio.A secretária de Estado, Condoleezza Rice, assegurou que os EUA concentram suas "orações e pensamentos" na esperança de que o líder israelense "se recupere".Em um café da manhã com correspondentes estrangeiros no Departamento de Estado, Rice expressou sua confiança em que o derrame cerebral sofrido por Sharon não afete o frágil processo de paz entre israelenses e palestinos. "Acho que o desejo de paz, o desejo de uma relação estável entre Israel e os palestinos é muito profundo na sociedade israelense", declarou Rice.A secretária de Estado se referiu ao primeiro-ministro israelense como "uma figura gigantesca na política israelense, e também no Oriente Médio e no mundo inteiro".A grande incógnita é se Sharon poderá se recuperar e em que condições e, nesse caso, quais serão as repercussões no frágil processo de paz entre israelenses e palestinos, em particular diante da proximidade das eleições nos dois lados.Rice - que participou hoje, com Bush, de uma reunião na Casa Branca junto com secretários de Defesa da gestão atual e de administrações passadas para falar sobre terrorismo e a guerra no Iraque - expressou sua confiança em que, apesar da doença de Sharon, o processo de paz irá adiante.A secretária de Estado também fez um pedido aos palestinos para que mantenham a data de suas eleições no próximo dia 25. "As eleições tem que ser realizadas nas datas nas quais estão previstas porque as pessoas tem uma série de expectativas sobre o processo democrático", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.