Bush emite ordem livrando Libby da prisão no caso Plame

Decisão veio horas depois de tribunal negar pedido do acusado para adiar pena

Agencia Estado

03 Julho 2007 | 15h26

O presidente dos EUA, George W. Bush, emitiu uma ordem executiva comutando a pela de dois anos e meio de prisão a que foi condenado Lewis "Scooter" Libby, ex-chefe de gabinete do vice-presidente Dick Cheney. A decisão foi anunciada horas após um tribunal federal de recursos negar, por unanimidade, um pedido dos advogados de Libby para que a aplicação da pena fosse adiada. Libby foi condenado por mentir aos tribunais e por obstruir a Justiça nas investigações sobre quem, dentro do governo Bush, foi responsável pela revelação ilegal da identidade da agente da CIA Valerie Plame, em 2003. Plame é casada com o ex-embaixador Joseph Wilson, que havia revelado à imprensa o resultado de suas investigações sobre as acusações de que o Iraque de Saddam Hussein havia tentado comprar urânio na África, para alimentar seu suposto programa de armas nucleares. Wilson concluiu que essas informações eram inverídicas. Como o governo Bush na época apoiava suas alegações para invadir o Iraque na afirmação de que Saddam tinha armas de destruição em massa, a publicação das conclusões do ex-embaixador foi um golpe para a política externa norte-americana; a revelação da identidade de sua mulher teria sido uma retaliação contra ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.