Bush encontra ´fantasmas´ da guerra do Iraque e do Vietnã

Nesta sexta-feira o presidente dos Estados Unidos, Geroge W. Bush, iniciou uma visita à Capital dividida durante o período de guerra entre os americanos e vietnamitas. E uma coisa, certamente, será inevitável durante essa viagem: as comparações entre a guerra impopular levada adiante no Iraque e o conflito mantido e perdido no Vietnã, há mais de 30 anos. O presidente George W. Bush e sua mulher, Laura, desembarcaram no país para, no sábado e no domingo, participar da cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec). Ao chegar no aeroporto da capital do país, Bush e sua mulher Laura foram recebidos por oficiais vietnamitas. Duas jovens, vestindo roupas tradicionais do país, presentearam o casal com um buquê de flores para cada. O interesse na chegada de Bush ao Vietnã pareceu diminuído se comparado com a multidão que permaneceu à espera do ex-presidente norte-americano Bill Clinton, que chegou em um vôo não anunciado no Aeroporto Internacional de Hanói. Com todo o tráfego parado, muitos residentes de Hanói permaneceram em suas bicicletas e motocicletas para ver o automóvel do presidente dos EUA se apressar pelas vielas da capital, onde os sinais da pobreza e do comércio colidiram. Ainda do lado de fora do luxuoso veículo, os espectadores assistiam à passagem de Bush em ruas empoeiradas, enquanto uma minoria acenava e sorria. A maioria observava passivamente. Esta é a primeira visita de Bush ao país e a segunda de um presidente americano desde o restabelecimento das relações diplomáticas em 1995, 20 anos após a Guerra do Vietnã. Bill Clinton foi o primeiro, em 2000. Nesta sexta-feira, o presidente americano almoçará com o primeiro-ministro da Austrália, John Howard, um dos seus principais aliados na Guerra do Iraque. Bush também deve se reunir com o presidente do Vietnã, Nguyen Mihn Triet, e o primeiro-ministro, Nguyen Tan Dung. Um dos objetivos do presidente americano na cúpula da Apec é discutir o programa nuclear da Coréia do Norte. Em discurso em Cingapura, na quinta-feira, Bush alertou que os EUA considerariam uma "grave ameaça" qualquer transferência de tecnologia nuclear à Coréia do Norte. Os líderes da Apec também emitirão uma declaração separada reafirmando seu compromisso de trabalhar para o reatamento da Rodada de Doha.

Agencia Estado,

17 Novembro 2006 | 05h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.