Bush enfrenta protestos em Madrid

Um grupo de cerca de 250 manifestantes gritava "Bush, volte pra casa" em frente à Embaixada dos Estados Unidos em Madri, nesta terça-feira, enquanto o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, descansava no interior da representação diplomática.Os manifestantes denunciavam a política do governante norte-americano sobre diversas questões, desde a globalização à crise no Oriente Médio e ao aquecimento global.A manifestação foi organizada por uma coalizão provisória de grupos ambientalistas e defensores dos direitos humanos, que também participaram de um protesto maior realizado no último domingo em outra área do centro de Madri.A multidão aglomerou-se numa calçada em frente à embaixada, situada em um dos bairros mais chiques de Madri, e gritava - em inglês - frases como "Pare Bush" e "Bush, volte pra casa".A comitiva de Bush entrou no complexo diplomático pelos fundos para que os manifestantes não conseguissem vê-lo. Bush, que reuniu-se mais cedo com o primeiro-ministro José María Aznar e com o rei Juan Carlos, deveria passar a noite na residência do embaixador norte-americano antes de partir, nesta quarta-feira, para Bruxelas.Cartazes exibidos pelos manifestantes continham frases sobre questões ambientais. Um deles dizia: "A Terra é nossa mãe, não o nosso supermercado."Uma faixa criticava a política de Bush para o Oriente Médio e o chamava de "assassino do povo palestino".Um manifestante, Jaime Garcia Velasco, participava do protesto porque "Bush é a favor do imperialismo".Dezenas de soldados espanhóis em uniformes azuis formaram um cordão de isolamento para evitar que os manifestantes se aproximassem da Embaixada dos Estados Unidos.Em Bruxelas, onde Bush deverá participar, nesta quarta-feira, de uma reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), centenas de pessoas protestaram em frente à Embaixada dos Estados Unidos na Bélgica.Mais de 30 organizações, entre elas o Fundo Mundial para a Vida Selvagem, a Oxfam e a Anistia Internacional, organizaram demonstrações contra as posições de Bush sobre quase todos os assuntos, desde o ambiente à pena de morte.A polícia belga reforçou a segurança em Bruxelas e criou um perímetro de segurança em torno da sede da Otan e da Embaixada dos EUA, pois 19 líderes mundiais estarão na cidade nesta quarta para participar de uma reunião de cúpula da aliança atlântica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.