Bush enfrenta protestos no Parlamento australiano

Enfrentando a maior manifestação de protesto de seu breve giro por seis países asiáticos, o presidente americano, George W. Bush, fez acalorada defesa da invasão do Iraque no Parlamento australiano.Pelo menos 6.000 pessoas reuniram-se diante do edifício do Parlamento australiano para protestar contra a guerra no Iraque e a presença de Bush na Austrália. Temendo distúrbios, as autoridades australianas impediram, pela primeira vez na história do país, a entrada do público ao plenário. Nas ruas, as forças de segurança mantinham-se vigilantes, enquanto caças bombardeiros sobrevoavam a cidade.Discursando depois do primeiro-ministro australiano, John Howard, Bush aplaudiu o apoio do governo australiano à campanha militar no Iraque e à luta antiterrorista. "No Sudeste Asiático, a Austrália vai na frente no caminho para a paz", disse ele, lembrando que soldados australianos e americanos têm combatido juntos nos últimos cem anos.A bancada parlamentar verde, de oposição, o forçou a interromper, por alguns momentos, o pronunciamento, protestando em coro contra a invasão do Iraque. "Amo a liberdade de expressão", reagiu sorrindo Bush, em meio a aplausos de partidários do governo australiano.O presidente voltou aos EUA fazendo uma visita ao Havaí, onde homenageou as vítimas do ataque japonês a Pearl Harbor e veteranos da II Guerra Mundial e da Guerra da Coréia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.