Bush escolheu caminho perigoso, diz Celso Amorim

O chanceler brasileiro, Celso Amorim, está preocupado com o que pode acontecer com o mundo após a guerra dos Estados Unidos com o Iraque. Em entrevista ao Jornal das Dez, da Globo News, ele falou de seu receio sobre como o mundo vai ser administrado a partir da decisão do presidente americano de confrontar a ONU e a opinião pública mundial, na questão iraquiana. "É um caminho perigoso", disse Amorim. "A questão é saber quem zelará pela ordem mundial. Nós achamos que deve ser as Nações Unidas, e não um país individualmente, por mais forte que ele seja."O chanceler explicou que sua opinião não deve ser entendida como uma crítica aos Estados Unidos, país com o qual o Brasil quer aprofundar cada vez mais suas relações diplomáticas, culturais, econômicas e comerciais. "Dizemos isso como amigos dos Estados Unidos, também. Porque não cremos que seja bom, inclusive para um país que tenha tanto poder, que esse poder não tenha, digamos, as limitações das normas internacionais."Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.