Bush está "enojado" com escândalo sexual envolvendo republicano

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta terça-feira estar "enojado" com o escândalo protagonizado pelo legislador republicano Mark Foley, que enviou mensagens sexuais explícitas a bolsistas do Congresso americano menores de idade."Me senti comovido e consternado ao saber do comportamento inaceitável do congressista Foley", afirmou o presidente. "Esta revelação me enoja. Foley violou a confiança dos cidadãos que o elegeram para o cargo", afirmou.Bush expressou seu apoio ao pedido do presidente da Câmara de Representantes, o republicano Dennis Hastert, para que se efetue uma investigação sobre os fatos."Esta investigação deve ser minuciosa. Qualquer violação da lei deve ser levada à Justiça", afirmou o presidente.Embora legisladores democratas tenham pedido a renúncia de Hastert, por considerar que os republicanos acobertaram o comportamento de Foley, Bush expressou sua confiança no presidente da Câmara, a quem descreveu como "um pai e um mestre".Hastert defendeu sua atuação no caso, e afirmou que não irá renunciar.O escândaloFoley, que representava um distrito do sul da Flórida, renunciou a seu cargo na sexta-feira, após a divulgação de uma série de mensagens eletrônicas de conteúdo sexual explícito enviadas a bolsistas adolescentes do Congresso.O escândalo representa um golpe inesperado nas pretensões republicanas, que pensavam iniciar sua campanha eleitoral focada em seus avanços na luta antiterrorista e na segurança nacional.Segunda-feira, Hastert denunciou as mensagens "vis e repulsivas" enviadas por Foley a adolescentes que trabalhavam para congressistas.O presidente da Câmara e outros republicanos são acusados de saber do comportamento de Foley com as estudantes há vários meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.