Bush exige que Arafat ordene cessar-fogo

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, exigiu que o líder palestino Yasser Arafat condene "o terrível ataque terrorista" suicida realizado na noite de hoje em Israel, que matou 17 e feriu 86 pessoas, e convoque um cessar-fogo imediato. "Não há justificativa para ataques sem sentido contra civis inocentes", disse Bush em um comunicado.O presidente disse que o atentado prova a necessidade de um fim imediato e incondicional da violência. "Peço ao presidente Arafat que condene este ato e convoque um cessar-fogo imediato", disse ele. "Minhas mais profundas condolências e as do povo norte-americano são endereçadas às vítimas e seus familiares."A administração Bush tem como meta para sua diplomacia no Oriente Médio o fim dos quase nove meses de confrontos na região. Os críticos acusam o governo dos Estados Unidos de fazer pouco para que israelenses e palestinos voltem a negociar a paz.O relatório de comissão internacional de observadores chefiada pelo ex-senador democrata George Mitchell foi aprovado. O documento sugere a adoção de um cessar-fogo, critica os líderes palestinos por fazerem pouco para conter a violência e pede a Israel que congele as construções em assentamentos judaicos.A Autoridade Palestina condenou, em comunicado público pronunciado este sábado em Gaza, o atentado de Tel-Aviv. Pediu que todas as partes mantenham a calma e evitem a escalada da violência na região. O primeiro-ministro israelense Ariel Sharon convocou uma reunião de emergência do minigabinete isralense de segurança, composto pelo primeiro-ministro e os titulares da Defesa e das Relações Exteriores, Binyanmin Ben Eliezer e Shimon Peres. A reunião deve ocorrer na manhã deste sábado (2:30h, no horário de Brasília) para estudar a resposta de Israel ao atentado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.