Bush faz campanha para candidato envolvido em escândalo

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, parte hoje para a Califórnia para ajudar a fraca campanha ao governo local do republicano Bill Simon. Enquanto isso, os democratas questionam como conciliar a acusação de fraude contra o candidato com o discurso de Bush, que promete pulso firme para os empresários delinqüentes. "Bill Simon nos assegura que as cortes o declararam inocente e eu creio em sua palavra", disse Bush hoje em Oregon, onde realizou atos para arrecadar fundos de campanha para os candidatos locais. A presença de Bush em Portland provocou choques entre a polícia e manifestantes, que protestavam contra a política de Bush para o meio ambiente, Iraque e outros assuntos. Utilizando gás pimenta e cacetetes, policiais dispersaram centenas de pessoas que se aglomeravam ao redor de um hotel onde Bush participava de uma cerimônia. Os manifestantes gritaram "Não joguem as bombas, joguem Bush". Depois de almoçar, Bush seguiu para o sul da Califórnia para arrecadar mais fundos em uma recepção noturna: US$ 3 milhões para Simon e US$ 1 milhão para o Partido Republicano. Os atos com Simon serão os primeiros com Bush desde que a firma William E. Simon & Sons foi declarada culpada de fraude e obrigada a pagar US$ 78 milhões no mês passado. O próprio Simon não foi acusado e acredita-se que o veredicto será anulado na apelação. Bush interrompeu suas férias em seu rancho texano para se dedicar, por três dias, a fazer campanha e arrecadar fundos para candidatos republicanos em três Estados: Oregon, Califórnia e Novo México, onde perdeu para o democrata Al Gore nas presidenciais de 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.