Bush fracassa em reaproximação com UE

O presidente americano, George W. Bush, fracassou hoje na tentativa de reduzir as diferenças com os países da União Européia em relação à ratificação do Protocolo de Kyoto, que requer a redução da emissão de gases poluentes pelos países industrializados. A discordância sobre o tema ficou evidente na declaração final da reunião de cúpula, na qual os EUA e a UE comprometem-se, muito vagamente, a "buscar uma solução global e intensificar a cooperação científica para enfrentar o problema da mudança climática".O Protocolo de Kyoto, aceito em 1997 pela maior parte dos países desenvolvidos, estabelece que essas nações devem reduzir, até 2012, seu índice de emissão de poluentes aos níveis de 1990. Bush tem reiterado que o protocolo não se baseia em dados científicos e é injusto, porque não obriga os países em desenvolvimento a diminuírem seus níveis de poluição. "Concordamos com o fato de que estamos em desacordo sobre a essência do protocolo", declarou, na entrevista coletiva que se seguiu à reunião, o primeiro-ministro sueco, Goran Persson. A Suécia ocupa no momento a presidência rotativa da UE.Bush, no entanto, comprometeu-se a participar da Conferência de Cúpula sobre o Clima da ONU, que ocorrerá no mês que vem em Bonn, na Alemanha.O tema ecológico, a defesa da aplicação da pena de morte nos EUA e o ousado projeto de construir um escudo antimísseis que viola um tratado de controle armamentista têm motivado uma série de protestos contra Bush nessa sua primeira visita oficial a países europeus. Uma manifestação realizada hoje em Gotemburgo degenerou em violência, com cerca de 1.000 ativistas lançando garrafas, paus e pedras contra policiais. Cerca de 200 pessoas foram presas no incidente, que deixou ainda quatro policiais feridos levemente.Durante a reunião de hoje, Bush anunciou também, surpreendentemente, a retirada da Marinha americana dos arredores da ilha porto-riquenha de Vieques. Os militares americanos utilizam o local como alvo em exercícios navais, apesar dos protestos dos habitantes locais. Na declaração final da reunião, Bush e os líderes da UE concordaram também em "instar palestinos e israelenses a cessarem com a violência no Oriente Médio e a tomar medidas para gerar confiança e retomar negociações".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.