Bush insiste: derrubar Saddam foi "a coisa certa"

Confrontado com um relatório que demonstra a ausência de armas de destruição em massa no Iraque, o presidente George W. Bush reconheceu que os armamentos proibidos usados para justificar a invasão não existiam, mas insistiu que "estávamos certos em agir" contra Saddam Hussein. "A América está mais segura hoje com Saddam Hussein na prisão", disse Bush a repórteres. "Muito da informação que tínhamos estava errada e temos descobrir por quê", reconheceu, ao mesmo tempo em que repetiu que o ditador iraquiano tinha "os meios e a intenção" de produzir armas de destruição em massa. A fala do presidente vem um dia depois de Charles Duelfer, o inspetor de armas enviado pelos EUA ao Iraque, ter apresentado relatório mostrando que o programa de armas proscritas de Saddam havia sido reduzido a um mero sonho do líder iraquiano pelo programa de sanções e inspeções da ONU. A principal ambição de Saddam era escapar das sanções, não obter as armas, e se as obtivesse seu objetivo seria usá-las contra Israel ou o Irã, não os EUA.

Agencia Estado,

07 Outubro 2004 | 15h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.