Bush lamenta morte de chinês

O presidente dos EUA, George W. Bush, disse pela primeira vez hoje que "lamenta" a morte de um piloto chinês, em virtude da colisão de sua aeronave com um avião de espionagem norte-americano, no mar do Sul da China. Bush também repetiu seu alerta que Pequim deve libertar os 24 tripulantes americanos, que estão detidos na China."Eu quero deixar isso claro. Primeiro, eu lamento a morte do piloto chinês e lamento que um dos aviões (da China) tenha se perdido. Nossas preces vão para o piloto e sua família. Nossas preces também estão com nossos homens e mulheres, e eles devem voltar para casa", disse o presidente norte-americano. "Nossa mensagem para os chineses é que não podemos permitir que este incidente desestabilize nossas relações. Nosso relacionamento com a China é muito importante. E eles precisam compreender que é hora de nosso pessoal voltar para casa", disse Bush. Apesar de ter destacado que quer manter boas relações com a China, o presidente dos EUA também disse que "os chineses devem dar o passo". Ele afirmou que os EUA estão contatando a China através de diversos canais diplomáticos e que a sua "missão" era trazer a tripulação de volta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.