Bush não crê em contágio da Argentina

O presidente dos EUA, George Bush, disse não acreditar que a crise fiscal argentina seja "contagiosa". Ele ressalvou que está preocupado com a situação da Argentina e que seu governo está acompanhando de perto os acontecimentos. "Estou preocupado com a Argentina. Nós estamos acompanhando com muito cuidado toda essa noção de contágio e eu não acredito que ela (a crise) será contagiosa, se, de fato, ela não se comportar do jeito que nós esperamos", disse o presidente dos EUA durante um encontro com jornalistas estrangeiros. Bush disse dar boas-vindas ao acordo assinado pelo presidente argentino, Fernando de la Rúa, com 14 governadores da oposição, sobre a nova rodada de cortes de gastos. "Parece que há um acordo entre os governadores e o governo central sobre como conter os gastos, o que é um passo muito importante", afirmou. Ele também disse pensar que, se o governo central da Argentina continuar a implementar reformas, ele será capaz de acalmar os mercados financeiros e pôr fim á crise fiscal. O chefe do Conselho de Assessores Econômicos da Casa Branca, R. Glenn Hubbard, por sua vez, reiterou a visão da administração Bush, de que as dificuldades fiscais da Argentina resultam em grande parte de suas políticas de gastos, e poderão ser resolvidas com novas políticas que reduzam as despesas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.