Bush não deve relaxar embargo comercial a Cuba

Os EUA dificilmente vão relaxar o embargo comercial a Cuba além da pequena abertura para a venda de alimentos, aprovada pelo Congresso no ano passado, afirmou hoje a secretária da Agricultura dos EUA, Ann Veneman. De acordo com a legislação aprovada em 2000, Cuba só tem permissão para comprar alimentos nos EUA se as vendas não forem financiadas por Washington. O governo dos EUA também não tem permissão para subsidiar estas exportações. "O que o Congresso decidiu no ano passado deu uma certa abertura a Cuba", disse Veneman, durante uma reunião com altos funcionários estaduais do setor agrícola. Mas ela deixou claro que a administração Bush não apoiaria "uma série de mudanças" na legislação sobre o comércio com a ilha. Grupos de produtores agrícolas dos EUA querem relaxar as restrições ao financiamento das exportações para Havana, as quais, segundo Cuba, inviabilizam as transações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.