Bush oferece ajuda às vítimas de terremoto na China

'Os pensamentos e orações do povo norte-americano estão com o povo chinês', diz o presidente dos EUA

Efe,

12 de maio de 2008 | 12h52

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, expressou nesta segunda-feira, 12, suas condolências às vítimas do terremoto na China e disse que seu país está disposto a ajudar de qualquer maneira possível.   Veja também: Mortos por terremoto passam de 8 mil, estima governo chinês Premiê chinês pede 'calma, confiança, coragem e organização' Imagens do terremoto    Bush se declarou "particularmente entristecido pelo número de estudantes e crianças atingidos por esta tragédia", informou a Casa Branca, em comunicado.   "Os pensamentos e as orações do povo americano estão com o povo chinês, em particular com aqueles diretamente atingidos", acrescentou o presidente.   Os Estados Unidos, ressaltou, "estão dispostos a ajudar de qualquer maneira possível".   As autoridades da província de Sichuan, epicentro do terremoto, informaram que pelo menos 8.533 pessoas morreram, enquanto mais de 10.000 ficaram feridas e foram registradas mais de 300 réplicas.   O terremoto, que aconteceu às 14h28 (3h28 de Brasília), é um dos piores sofridos pelo país asiático nos últimos 30 anos, e afetou especialmente às províncias de Shanxi, Sichuan, Yunnan e Gansu, assim como a localidade de Chongqing.   Só em Beichuan, um distrito a 50 quilômetros do epicentro, calcula-se que morreram cerca de 3.000 pessoas e mais de 80% dos edifícios dessa zona desabaram.   Enquanto isso, a cerca de cem quilômetros, continuam os trabalhos de resgate dos mais de 900 estudantes soterrados em Dujiangyan, após o desabamento de um instituto dessa cidade, de onde já foram retirados 50 corpos.   A imprensa oficial informou que pelo menos 16 pessoas morreram nessa e em outras localidades da província de Sichuan, junto com quatro crianças que morreram em Chongqing (ao leste de Sichuan).

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoChinaBush

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.