Bush pede apoio da Europa Oriental lembrando do comunismo

Classificando a luta contra o terrorismo como uma nova Guerra Fria, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, advertiu hoje líderes de ex-países comunistas que o Taleban e a Al-Qaeda têm as mesmas "loucas ambições globais" de regimes que governaram atrás da Cortina de Ferro. "Hoje nossa liberdade está mais uma vez ameaçada", disse ele via satélite a dezenas de presidentes da Europa Oriental, Bálcãs e ex-repúblicas soviéticas. "Como os fascistas e totalitaristas antes deles, esses terroristas - Al-Qaeda, o regime Taleban que a apóia e outros grupos terroristas em todo o mundo - tentam impor suas visões radicais por meio de ameaças e violência. Vemos a mesma intolerância com os dissidentes, as mesmas loucas ambições globais, a mesma brutal determinação de controlar toda vida e a vida toda". Líderes na conferência receberam as declarações com uma salva de palmas. "Estamos ao lado da nação americana assim como eles nos apoiaram em nossa luta pela liberdade", disseram eles num comunicado aprovado posteriormente. A conferência também aprovou um plano para aprimorar a troca de inteligência e monitorar o fluxo de pessoas, informação e dinheiro pelas fronteiras que poderiam ser usadas em operações terroristas. Bush disse que a Al-Qaeda opera em mais de 60 países, incluindo alguns na Europa Oriental e Central. "Eles estão buscando armas químicas, biológicas e nucleares", afirmou. "Dados os meios, nossos inimigos seriam uma ameaça a todas as nações e, eventualmente, à própria civilização". A cooperação da Europa Oriental e os Bálcãs pode ser crucial na campanha antiterrorista. Desde o colapso dos regimes comunistas e o aliviamento dos controles fronteiriços, a região se tornou uma grande rota leste-oeste para o contrabando de drogas, pessoas e dinheiro - rotas que também podem ser usadas por grupos terroristas. O presidente polonês Aleksander Kwasniewski organizou a conferência depois dos atentados de 11 de setembro nos EUA para discutir como as emergentes democracias da região poderiam colaborar na luta contra o terrorismo. "O discurso que Bush fez para nós prova que a Europa Central e Oriental têm um importante papel a desempenhar", disse ele após a conferência. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.