Bush pede privilégio para testemunhas ligadas à Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu privilegio executivo nesta segunda-feira, 9, para negar requisições do Congresso por testemunhos de ex-assessores sobre o caso dos procuradores demitidos pela Casa Branca. Bush novamente ofereceu deixar Sara Taylor e Harriet Miers disponíveis apenas para entrevistas privadas e sem gravações. Em uma carta para os presidentes dos comitês judiciários do Congresso, o conselheiro da Casa Branca Fred Fielding insistiu que o presidente estava agindo de boa fé e recusou a explicar aos legisladores sobre as bases do pedido de privilégio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.