Bush pede que Abbas contenha terroristas

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, fez um apelo direto ao primeiro-ministro palestino, Mahmoud Abbas, para que coíba possíveis atentados contra Israel, e garantiu que o governo americano continua comprometido com o estabelecimento de um Estado palestino soberano e independente até 2005.Este foi o primeiro contato direto entre Bush e Abbas, que assumiu recentemente o cargo de primeiro-ministro. Sua indicação foi resultado de um boicote de EUA e Israel ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Yasser Arafat, acusado por americanos e israelenses de "envolvimento" nos atentados de grupos extremistas.A expectativa é de que, nos próximos meses, Abbas seja convidado a conversar com Bush em Washington. Em contraste, Arafat nunca foi convidado pelo governo americano para uma visita à Casa Branca desde que Bush assumiu o poder, em 2001.Durante a conversa de 15 minutos, pediu ação de Abbas contra os radicais palestinos e garantiu que também quer que Israel adote "medidas concretas" para que chegue a um acordo com os palestinos.Bush fez a intervenção depois de cinco atentados suicidas contra Israel terem sido perpetrados em 48 horas por grupos radicais islâmicos, colocando em risco o processo de paz apoiado por Estados Unidos, Rússia, União Européia e Organização das Nações Unidas, componentes do chamado Quarteto de mediadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.