Bush preferia que execução de Saddam fosse ´mais digna´

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse na quinta-feira que a execução de Saddam Hussein deveria ter sido feita de "forma mais digna", mas que julgamento do ex-ditador foi "justo"."Esperamos que haja uma plena investigação do que ocorreu", disse Bush em entrevista coletiva na Casa Branca, em sua primeira declaração pública sobre o vídeo gravado clandestinamente que mostra Saddam sendo insultado por autoridades xiitas instantes antes de ser enforcado.Bush elogiou a iniciativa do primeiro-ministro Nouri al-Maliki de investigar os procedimentos da execução. No vídeo, ouvem-se pessoas mandando Saddam "ir para o inferno" e entoando o nome do clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr. Logo em seguida, abre-se o cadafalso."Eu desejava, obviamente, que o procedimento tivesse transcorrido de forma mais digna", disse Bush, ao lado da primeira-ministra, Angela Merkel. "Não obstante, ele recebeu um julgamento justo".A Casa Branca informou que Bush não viu o vídeo, mas foi informado a respeito. Os militares norte-americanos disseram não ter tido qualquer participação na execução, e garantiram que teriam feito diferente.Merkel não fez menção à execução de Saddam, mantendo sua política de evitar atritos com Washington, ao contrário de seu antecessor, Gerhard Schroeder, que se opôs frontalmente à guerra, em 2003."Embora a Alemanha não esteja militarmente presente no Iraque, temos todo interesse em ver o Iraque dando uma guinada rumo a um desenvolvimento mais pacífico, em que as pessoas não precisem mais temer por suas vidas", disse ela. "Politicamente, devemos fazer de tudo para dar apoio a um fato tão positivo".Matéria alterada às 11h30 para acréscimo de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.