Bush pressiona em favor da trégua no Oriente Médio

Os Estados Unidos comunicaram a Israel que querem a realização em breve de uma reunião para negociar uma trégua no Oriente Médio, informou nesta sexta-feira o ministro israelense das Relações Exteriores, Shimon Peres.O pedido faz parte de um esforço norte-americano para forjar uma ampla coalizão contra militantes islâmicos que também incluiria países árabes.SharonO presidente dos EUA, George W. Bush, pediu ao primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, para conversar sobre o assunto, disseram funcionários do governo norte-americano. No entanto, Sharon não quer que Peres se reúna neste momento com o líder palestino, Yasser Arafat, disse Raanan Gissin, conselheiro de Sharon.Sharon acredita que o líder palestino não faz nada para deter os militantes islâmicos e que alguns de seus agentes de segurança participam de ataques contra os israelenses.No começo desta semana, Sharon tentou comparar Arafat a Osama bin Laden, o milionário saudita considerado principal suspeito dos ataques terroristas cometidos esta semana contra os Estados Unidos. "Arafat não deixa de ser um Bin Laden", provocou Gissin nesta sexta-feira.ViolênciaEm novos episódios de violência no Oriente Médio, um palestino de 17 anos foi assassinado pelo Exército israelense, informaram funcionários dos hospitais. Dois soldados de fronteira de Israel ficaram feridos quando uma granada de mão foi atirada contra o posto no qual trabalham.Mais tarde, tanques israelenses invadiram a cidade de Beit Hanoun, na Faixa de Gaza, dando início a um tiroteio. Quatro palestinos ficaram feridos, um deles em estado grave, contou um médico.TréguaA atual discussão sobre a negociação de uma trégua pode aumentar a tensão entre Israel e os Estados Unidos num momento no qual o governo Sharon tenta angariar compreensão da comunidade internacional - aproveitando os ataques terroristas contra os EUA - para seus cada vez mais duros ataques contra militantes islâmicos.Bush telefonou a Sharon e pediu a ele que apóie a negociação de uma trégua, disse Sean McCormack, porta-voz da Casa Branca.Arafat e PeresDiplomatas dos dois lados em conflito tentaram marcar uma reunião entre Arafat e Peres para domingo, no Aeroporto Internacional de Gaza. Funcionários palestinos disseram acreditar que o encontro vai ocorrer.Peres, um pacifista veterano, quer negociar com Arafat, mas Sharon reluta em dar-lhe permissão para isto. Sharon não acredita nas intenções do líder palestino.PowellO chanceler israelense disse ter recebido nesta sexta-feira dois telefonemas do secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, que disse "dar grande importância à realização do encontro"."Os Estados Unidos estão tentando estabelecer uma coalizão contra o terrorismo e quer que elementos muçulmanos participem desta coalizão, elementos árabes também", disse Peres.?Última chance?Terje Roed-Larsen, enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) ao Oriente Médio, acredita que palestinos e israelenses correm o risco de perder aquela que seria a última chance para retomarem as negociações de paz."Um encontro fracassado provavelmente pioraria a situação", diz Roed-Larsen. "Esta também pode ser a última chance, por um tempo muito longo, para retomar o processo de paz."EscaladaOs palestinos acusam Israel de aproveitar os atentados terroristas desta semana contra os Estados Unidos para encobrir a escalada dos ataques contra eles.Após os ataques de terça-feira contra os EUA, Israel enviou tanques e soldados para as cidades cisjordanianas de Jenin e Jericó e outros dois vilarejos para destruir prédios da polícia palestina e outras estruturas.Depois de diversas horas de incursão, os tanques israelenses retiraram-se para a periferia das cidades, mas continuavam no interior de território autônomo palestino.Desde terça-feira, 16 palestinos morreram, a maior parte deles em confrontos durante as incursões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.