Bush pressiona Japão e tenta acalmar China e Coréia

Durante sua viagem à Ásia, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pressionou o Japão para que coloque em ordem sua economia, garantiu novamente à Coréia do Sul que não está a ponto de iniciar uma guerra na península coreana e defendeu a aliança entre os Estados Unidos e a China, depois dos atentados terroristas de 11 de setembro. O problema é que Bush terá de repetir tudo dentro de alguns meses.No ano de 2003, aproximadamente nesta mesma época, os líderes Kim Dae-jung, da Coréia do Sul, e Jiang Zemin, da China, estarão a ponto de concluir seus mandatos presidenciais. Funcionários governamentias reconheceram, em caráter privado, que não estão certos se o primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, poderá permanecer no poder, porque está caindo a confiança da população japonesa na capacidade de Koizumi de relançar a economia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.