Bush proíbe exportações americanas para a Síria

O presidente George W. Bush impôs uma proibição a todas as exportações americanas para a Síria, excetuando apenas comida e remédios, segundo dois representantes do Congresso informados sobre as medidas. Os representes disseram que a ordem presidencial foi assinada e que o anúncio público deve vir em breve. O bloqueio das exportações e outras medidas contra o país se seguem a uma série de queixas americanas de que a Síria apóia grupos terroristas e não impede que guerrilheiros cruzem sua fronteira com o Iraque. O comércio bilateral EUA-Síria é de US$ 300 milhões ao ano. Um representante do Departamento de Estado, falando sob condição de anonimidade, disse que exceções serão feitas também para peças de avião, a fim de não pôr em perigo o transporte aéreo, e equipamentos de comunicação, para que os sírios possam receber informações do exterior. A Casa Branca fez um resumo das medidas para o congresso, que incluem ainda a proibição dos vôos entre EUA e Síria; autorização para o congelamento de ativos de cidadãos sírios envolvidos em terrorismo, na ocupação do Líbano e com armas de destruição em massa; e restrições nas relações entre bancos americanos e o Banco Central sírio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.