Bush promete acabar com todos terroristas no mundo

Seis meses depois da mais devastadora série de atentados terroristas da história, o presidente norte-americano George W. Bush prometeu nesta segunda-feira "acabar com todos os santuários" dos grupos que praticam o terror."Devemos fazer com que cada terrorista viva como um fugitivo internacional, sem lugar onde possa se estabelecer ou se organizar, sem lugar onde se esconder nem governos por trás dos quais possa se ocultar. E nem sequer um lugar seguro para dormir", discursou Bush, durante uma cerimônia no jardim da Casa Branca, da qual participaram cerca de 1.300 pessoas.Bush anunciou oficialmente que a guerra contra o terror - iniciada há mais de cinco meses com a campanha no Afeganistão - entrou em na "fase dois", com operações contra militantes vinculados à rede terrorista Al-Qaeda em países como Iêmen, Geórgia e Filipinas. "Lutamos nas montanhas (do leste do Afeganistão) uma batalha intensa, e ganharemos. Mas esta não será a última e haverá batalhas fora do país."Repetindo as advertências que fez em janeiro, advertindo os países que qualificou de "eixo do mal" (Coréia do Norte, Irã e Iraque), Bush reiterou que os EUA não tolerarão que grupos que promovam o terror tenha acesso a armas químicas, biológicas e nucleares."Esse tipo de arma nas mãos dos terroristas provocariam genocídio e caos. A inação, nesse caso, não é opção", disse. "Os grupos terroristas estão sedentos por essas armas e as utilizariam sem um mínimo de consciência."O discurso de Bush foi ouvido por membros do Congresso, mais de uma centena de embaixadores estrangeiros e cerca de 300 parentes das vítimas e dos bombeiros mortos nos ataques de 11 de setembro.Em Nova York, a cerimônia dos seis meses do ataque ao World Trade Center foi marcada por dois períodos de silêncio iniciados às 8h46 e às 9h03 locais - horários exatos de cada um dos impactos dos aviões lançados contra as torres gêmeas.Líderes religiosos e o prefeito Michael Bloomberg fizeram discursos no local onde ficavam os edifícios. Uma esfera de ferro e aço recuperada dos escombros foi reinaugurada na presença de seu autor, o escultor alemão Fritz Koenig. À noite, um monumento luminoso projetaria dois fachos de luz no lugar onde se erguiam as torres.Mais de 3 mil pessoas morreram nos atentados às duas torres do World Trade Center, ao edifício do Pentágono, em Washington; e na queda de um dos aviões seqüestrados pelos terroristas na Pensilvânia. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.