Bush promete considerar idéias alternativas para o Iraque

O presidente dos EUA, George W. Bush, prometeu nesta sexta-feira, 8, considerar as idéias de líderes no Congresso em sua busca por uma nova estratégia na desastrada guerra no Iraque. Bush deve anunciar suas novas decisões em um discurso no dia 25 de dezembro. "O presidente admitiu que algumas táticas novas podem ser necessárias", disse a iminente líder democrata da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, depois do encontro de Bush com políticos influentes do Congresso. O senador Richard Durbin disse que ninguém espera que o presidente endosse todas as 79 recomendações de uma comissão que estudou opções para o Iraque, mas disse esperar que as idéias de Bush sigam os temas do relatório da comissão, a qual criticou severamente o envolvimento dos EUA na guerra. "Precisamos começar a mover as tropas americanas, redistribuindo-as para fora do Iraque e as trazendo para casa", disse Durbin, o democrata número 2 do Senado.Bush resumiu a conversa: "Falamos sobre o Iraque. Falamos sobre a necessidade de um novo caminho no país. E falamos sobre a necessidade de trabalharmos juntos neste importante assunto."Pelosi e Durbin são parte de uma leva de importantes políticos do Legislativo passando pela Casa Branca nesta semana. Na semana que vem, Bush realizará três dias de reuniões com altos membros de sua equipe de segurança nacional para discutir idéias sobre o Iraque. Segundo Pelosi, o líder democrata no Senado, Harry Reid, recomendou a formação de um grupo bipartidário, composto por senadores e deputados, que iria tentar encontrar uma base em comum com a administração para considerar as muitas recomendações sobre o Iraque, para que a população americana, assim, pudesse ver que a consenso sobre novos rumos no país.A deputada democrata disse sentir que Bush estava "positivamente inclinado" a acatar estar idéia. Já Durbin disse querer ver o grupo expandido para além da questão iraquiana. Conferência com BlairBush, em uma coletiva de imprensa conjunta com o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, se distanciou de algumas das principais recomendações do Grupo de Estudos sobre o Iraque (ISG, em inglês) para a remodelagem das políticas no país. Ele se opôs a conversas com o Irã e com a Síria e se recusou a endossar uma grande retirada de tropas. Blair apoiou amplamente o esforço da administração de Bush para tentar alcançar a vitória no Iraque e espalhar a democracia no Oriente Médio. "A visão está absolutamente correta", disse Blair na conferência com o presidente americano, na qual os dois líderes concordaram em novas abordagens no Iraque. Sob intensa pressão para tomar novos rumos na política de guerra, Bush deve realizar um grande discurso sobre o Iraque antes do Natal. Ele disse que suas decisões serão baseadas nas recomendações de estudos separados do Pentágono, do Departamento de Defesa e do Conselho de Segurança Nacional, assim como do ISG.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.