Bush quer mais poder para a polícia e mais pena de morte

Os Estados Unidos jamais esquecerão os ?servos do mal? por trás dos ataques terroristas de 11 de setembro, disse o presidente George W. Bush, ao defender uma ampliação dos poderes da polícia para lidar com suspeitos de terrorismo, e a possibilidade de que atos de sabotagem possam levar à pena de morte.Bush disse que quer que o Congresso dê aos policiais que combatem o terrorismo os mesmos poderes já concedidos para enfrentar outros crimes, como o tráfico de drogas, desfalques financeiros e a máfia. Muitas das mudanças pretendidas pelo presidente já tramitam no Congresso.Por exemplo, suspeitos de tráfico de drogas podem ter a fiança negada preventivamente, mas o mesmo não se aplica a supostos terroristas. A pena de morte é aceita para alguns crimes, mas não para certos atos que podem ser classificados como terroristas. Além disso, a possibilidade de emissão de mandados e intimações administrativos, aceita em casos de fraude médica, não existe para o terrorismo, disse o presidente.?Sabotagem de uma instalação militar ou nuclear de maneira a causar a morte de inocentes não leva à pena de morte federal?, disse Bush. ?Esse tipo de tecnicalidade jamais deverá proteger terroristas da justiça definitiva?.Laura Murphy, diretora da União Americana pelas Liberdades Civis, criticou o discurso do presidente. ?Novas erosões da supervisão jurídica e dos sistemas de checagens e equilíbrios que protegem... a democracia dos abusos políticos ... são o caminho errado?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.