Bush quer promover na ONU suas estratégias para o Oriente Médio

O presidente dos EUA, George W. Bush irá tentar convencer os céticos líderes mundiais a partilhar da sua visão em relação ao Oriente Médio em um discurso antes da Assembléia das Nações Unidas nesta terça-feira, onde ele pedirá que o mundo "defenda a paz" face ao extremismo violento. O desafio de Bush está em conseguir apoio internacional para enfrentar vários problemas na região: a violência incontrolável no Iraque, o processo de paz estagnado entre Israel e os palestinos, os militantes armados do Hezbollah no Líbano e o desafiante Irã, que continua com o seu programa nuclear. A questão do Irã foi o principal assunto em seu encontro na manhã da terça-feira com o presidente da França, Jacques Chirac, que é contra a imposição de sanções ao Irã defendida pelos EUA, por não ter aceito as demandas colocadas pelo Conselho de Segurança da ONU, que inclui a suspensão do enriquecimento de urânio. Chirac propôs na segunda-feira um compromisso da comunidade internacional de suspender a ameaça de sanções se Teerã concordar em parar com o enriquecimento de urânio e retornar às negociações. Os EUA e outros países têm o receio de que o Irã esteja tentando produzir armas nucleares, enquanto Teerã insiste que o programa de enriquecimento de urânio tem como finalidade produzir combustível para reatores nucleares que produziriam energia elétrica.

Agencia Estado,

19 de setembro de 2006 | 09h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.