Bush quer que Argentina trabalhe com o FMI

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou que está preocupado com os acontecimentos na Argentina e que monitora a situação de perto, segundo Ari Fleischer, porta-voz da Casa Branca. O porta-voz acrescentou que o presidente dos EUA gostaria de ver a Argentina trabalhando com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para resolver esta difícil situação, por meios que possam levar ao crescimento econômico sustentado. Apesar dos protestos populares na Argentina, Fleischer mostrou confiança no que chamou de "democracia forte e vibrante" daquele país. Ele disse que Bush fará um pronunciamento às 14h45 (de Nova York), no Jardim das Rosas da Casa Branca, sobre medidas financeiras adicionais que serão tomadas na guerra contra o terrorismo. O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, e o secretário do Tesouro, Paul O´Neill, acompanharão o presidente neste pronunciamento. Fleischer disse também que Bush ainda quer que o Senado aprove um pacote de estímulo econômico. "Ele insiste que o Senado marque uma votação," disse o porta-voz. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.