Bush reafirma posição contra braço violento do Hamas

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse em uma coletiva de imprensa que "a paz nunca está morta" no Oriente Médio e que o resultado das eleições palestinas deve servir como um alerta para a Autoridade Nacional Palestina. "A eleição exige que abramos os olhos para a necessidade de mais segurança nos territórios palestinos", disse o presidente dos EUA em uma coletiva na Casa Branca na manhã desta quinta-feira.Bush ressaltou que o Hamas não poderá ser um parceiro nas conversações de paz no oriente médio sem renunciar à violência, e reiterou que os EUA não negociarão com líderes palestino que não reconhecem o Estado de Israel. "Se a plataforma política de destruição de Israel for mantida, o Hamas não será um parceiro dos EUA pela paz", completou Bush. Hamas, o Movimento Islâmico de Resistência, tem como doutrina básica a destruição dos judeus, e foi responsável por vários ataques contra os israelenses.O presidente também pediu a permanência de Mahmoud Abbas na presidência da Autoridade Palestina.Escutas não autorizadasEm sua primeira coletiva de imprensa do ano, Bush deu uma prévia de seu discurso do Estado da União e continuou defendendo seu programa de administração de vigilância doméstica sem permissão. Ele repetiu que o programa é "legal, feito para proteger as liberdades civis e é necessário".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.