Bush reafirma sua doutrina de prevenção ao terrorismo

O presidente americano, George W. Bush, reafirmou sua doutrina de prevenção a ações terroristas, e disse que o Irã será o maior desafio para os Estados Unidos. Em um relatório que discute a segurança nacional, o presidente afirmou que mantêm a política de luta contra a propagação de armas nucleares e de destruição em massa. Intitulado "Estratégia de Segurança Nacional", o relatório resume os planos de Bush para proteger os EUA e fortalecer o relacionamento com outras nações. O documento é uma atualização da versão de 2002 que, escrito um ano após o ataque de 11 de setembro, estabeleceu a política de prevenção da administração Bush. A nova versão deixa claro que Bush não mudou sua posição, ainda que não tenham sido encontradas armas de destruição em massa no Iraque. Bush acusou o regime do Irã de apoiar terroristas, de ser uma ameaça a Israel e de interromper a reforma democrática, e afirmou que irá buscar respostas às suspeitas de armas nucleares no país. Apesar disso, não disse quais seriam as conseqüências caso as negociações com o Irã fracassassem. Os EUA estão tentando o apoio da Rússia e da China a uma proposta do Conselho de Segurança das Nações Unidas que determina que o Irã encerre seu programa de enriquecimento de Urânio. O resultado desde o relatório de 2002 foi a substituição do regime opressor do Taleban no Afeganistão por um governo eleito pelo povo, assim como a primeira eleição democrática no Iraque, em que cerca de 12 milhões de cidadãos votaram, e elegeram um governo permanente. No Iraque, onde o exército americano já obteve 2,3 mil baixas, permanecem desafios, e, no início da semana, o Pentágono anunciou a transferência para lá de 700 soldados que estão no Kuwait. Segundo Bush, o relatório, que também abrange itens sobre a Coréia do Norte, Rússia e China, é voltado a estratégias para avançar a democracia no mundo. "A história já mostrou que somente quando nós fazemos a nossa parte, outros farão a deles. Os EUA precisam continuar na liderança", disse Bush.

Agencia Estado,

16 Março 2006 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.