Bush rejeita pedidos para renúncia de secretário de Justiça

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, rejeitou nesta segunda-feira, 23, os pedidos para a renúncia do secretário de Justiça, Alberto Gonzales. Segundo Bush, o testemunho de Gonzales no Congresso na semana passada aumentou sua confiança no funcionário.Bush disse que a performance de Gonzales ante a legisladores americanos mostra que o promotor "não quebrou nenhuma lei" nas demissões, realizadas no ano passado, de oito promotores. Para a oposição democrata, há suspeitas de que a decisão foi politicamente motivada.Vários legisladores do próprio Partido Republicano de Bush levantaram dúvidas sobre se Gonzales poderá continuar depois do que muitos legisladores chamaram de fraca performance no Capitólio pelo secretário.Bush disse que Gonzales deu uma "avaliação bastante cândida e respondeu cada questão que poderia responder de uma maneira que aumentou minha confiança na habilidade dele de realizar o trabalho".O que está se esquecendo neste debate, disse Bush, é que o secretário de Justiça e o presidente têm o direito de demitir promotores norte-americanos se desejado."Ficou claro que o secretário de Justiça não quebrou leis, não fez nada de errado", disse Bush. "Alguns senadores não gostaram da explicação dele, mas ele respondeu o mais honestamente que pôde. Esse é um homem honesto, honorável, no qual eu tenho confiança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.