Bush rejeita tratado de "não-agressão" com Coréia do Norte

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou neste domingo que não assinará nenhum tratado de não-agressão com a Coréia do Norte, rejeitando proposta dos asiáticos para que o governo norte-americano assinasse esse tratado formal em troca de concessões nucleares por Pyongyang.Mas ele e o líder chinês, Hu Jintao, mantiveram a possibilidade de EUA e China, com outros países, oferecerem à Coréia do Norte algumas garantias escritas de segurança. "Temos um objetivo mútuo e este é o de uma península coreana livre de armas nucleares", afirmou Bush depois de um encontro com o presidente chinês antes do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), que reúne a partir desta segunda representantes de 21 nações na Tailândia.Horas antes, Bush aludira a uma nova abordagem para tentar que Pyongyang desmantele seu programa nuclear. Tanto Bush quanto Hu não especificaram qual seria o próximo passo. Mas funcionários da administração dos EUA afirmam que a nova abordagem envolveria outros quatro países - Rússia, Coréia do Sul, Japão e China -, encabeçados pelos chineses, estendendo algum tipo de garantia de segurança conjunta escrita para a Coréia do Norte.A Coréia do Norte disse que não está interessada em novas conversações entre os seis países a menos que os EUA discutam um tratado de não-agressão. Um jornal controlado pelo governo afirmou que o fórum da Apec não é lugar para se discutir o assunto, porque, segundo o diário "esse é um tema para ser resolvido entre os norte-coreanos e os Estados Unidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.