Bush revoga decisão de Clinton que reduziria arsênico na água

Ogoverno do presidente George Bush revogou uma resolução de seu antecessor, BillClinton, destinada a a melhorar a qualidade dos sistemas de fornecimento de água de 3mil comunidades norte-americanas e reduzir os riscos de envenenamento por arsênico.Três dias antes de encerrar seu mandato, Clinton havia assinado uma ordem executivaque reduzia em 80% os níveis de arsênico permitidos na água potável (de 50 partes porbilhão para 10 partes por bilhão).Nesta terça-feira, a Agência de Proteção Ambiental (EPA) anunciou que a decisão está revogada até que haja uma análise da necessidade e doscustos. "Os indicadores científicos não são claros sobre se o padrão precisa ou nãoser tão baixo como 10 partes por bilhão", disse a chefe da EPA, Christie Whitman.Noano passado, durante a administração Clinton, a EPA havia sugerido padrões ainda maisrígidos de arsênico na água, com um máximo de 5 partes por bilhão.ErikOlson, advogado do grupo ambientalista Conselho de Defesa dos Recursos Naturais,reagiu à decisão anunciada nesta terça, afirmando que "essa ação ultrajante é apenas mais umexemplo de como os poluidores tomaram conta do governo".Há duas semanas, opresidente Bush recuou de sua promessa eleitoral de obrigar as indústrias areduzir as emissões de dióxido de carbono.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.