Bush sancionará lei de direitos do feto em solenidade

Ansioso para oferecer mais uma vitória aos conservadores, sua mais leal base de apoio, o presidente dos EUA, George W. Bush, decidiu realizar uma cerimônia solene para sancionar a lei que amplia os direitos dos ainda não nascidos. A Lei das Vítimas de Violência Não Nascidas transforma em crime os danos sofridos pelo feto durante uma agressão a uma mulher grávida. O texto levou cinco anos para ser aprovado no Congresso.Ambos os lados da polêmica sobre o aborto dizem que a nova legislação terá amplas conseqüências. Os oponentes do aborto reconhecem no estatuto uma proteção a mais para os não nascidos, enquanto que os defensores do direito ao aborto dizem que a medida representa o primeiro reconhecimento oficial, em forma de lei, de que embrião e feto são seres humanos distintos da mãe. O senador John Kerry, oponente de Bush na disputa presidencial deste ano, votou contra a lei.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.