Bush se desculpa por abusos cometidos contra iraquianos

O presidente George W. Bush pediu desculpas pela tortura e humilhação de prisioneiros iraquianos nas mãos de soldados dos EUA, dizendo que as cenas de maus-tratos deixaram os americanos ?com o estômago enjoado?. Um dia depois de condenar os abusos, mas sem se desculpar, Bush disse ao rei da Jordânia, Abdullah II: ?Senti muito pela humilhação sofrida pelos prisioneiros iraquianos e pela humilhação imposta a suas famílias?. ?Também disse (ao rei) que sentia muito pelo fato de que as pessoas, ao verem aquelas imagens, não entenderiam a verdadeira natureza da América?, afirmou o presidente, ao lado de Abdullah. Junto ao dois estavam o secretário de Estado, Colin Powell, o vice-presidente Dick Cheney e Condoleezza Rice, conselheira de segurança nacional. Bush disse que quer garantir a inexistência de problemas mais amplos nas prisões militares comandadas por americanos exigindo atenção. ?É uma nódoa na honra de nosso país e na reputação de nosso país?, disse. ?Estou enojado com o que vi e enojado por saber que as pessoas tiveram a impressão errada?. O presidente rejeitou os pedidos pela renúncia do secretário de Defesa, Donald Rumsfeld, dizendo que ?ele é parte importante do meu gabinete e ficará no meu gabinete?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.