Bush sofre revés em processo de renovação de seu gabinete

O presidente americano, George W. Bush, sofreu hoje um duro revés no processo de renovação de seu gabinete com a decisão de Bernard Kerik de renunciar à sua nomeação como secretário de Segurança Interna, em substituição a Tom Ridge. Kerik renunciou ao cargo na sexta-feira à noite após informar que surgiram dúvidas sobre o status de imigrante de uma mulher que trabalhou para ele como empregada e babá. Sua nomeação deveria ser submetida à aprovação do Senado, mas o fato de ele ter contratado uma empregada que estaria ilegalmente nos EUA poderia causar empecilhos. A decisão que pegou a Casa Branca de surpresa fará com que Bush inicie a busca de um novo candidato para administrar uma ampla equipe de mais de 180 mil funcionários, pertencentes a 22 agências federais distintas. Parte desses funcionários foi contratada em 2003 para evitar atentados terroristas no país, como o de 11 de setembro de 2001.A indicação de Kerik tinha sido elogiada por vários democratas e republicanos. O militar da reserva, de 48 anos, que ajudou na reestruturação da polícia iraquiana, ficou conhecido por sua colaboração direta nos trabalhos de emergência após os atentados contra as torres do World Trade Center. Kerik não é o primeiro funcionário de alto escalão que se envolveu em um problema relacionado com o status de imigrante de seus funcionários. Casos similares impediram a nomeação de três candidatos a postos de destaque no governo do ex-presidente Bill Clinton.Em um comunicado distinto de sua carta de renúncia, Kerik disse que o problema principal surgiu enquanto completava a documentação exigida para que fosse ratificado pelo Senado "Descobri informações que agora me levam a ter dúvidas sobre o status de imigrante de uma pessoa que eu havia contratado como empregada doméstica e babá. Também descobri que durante um período desse emprego faltava pagar impostos e apresentar documentos, o que eu não cumpri."

Agencia Estado,

11 de dezembro de 2004 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.