Bush suspende sanções contra grupo rebelde

O presidente George W. Bush suspendeu as sanções impostas nos anos 90 contra os rebeldes da Unita em Angola, alegando que já se encerrou a guerra civil deum quarto de século no país africano."A Unita não constitui mais uma inusitada e forteameaça para a política externa dos EUA", disse o porta-voz da Casa Branca Ari Fleischer nesta quarta-feira. A ordem presidencial, assinada na terça-feira edivulgada hoje, suspende todas as sanções impostas à Unita em decretos assinados pelo então presidente Bill Clinton entre 1993 e 1998. As sanções proibiam a venda de equipamentos militaresaos rebeldes, a venda de bens angolanos por americanos e aimportação de diamantes angolanos, entre outras medidas. As sançõees impostas pelo democrata Clinton contrariaram as diretrizes dos governo republicanos anteriores, que sempre apoiaram a Unita.A guerra civil de 25 anos em Angola terminou no anopassado, depois que o Exército matou o líder da Unita, JonasSavimbi, que expandiu a luta pelo poder depois que seu país se tornou independente de Portugal em 1975. Mais cedo este ano, em busca de obter apoio para suaguerra no Iraque, Bush tentou estreitar os laços com Angola,atual membro não-permanente do Conselho de Segurança (CS) da ONU. Num só dia, o presidente angolano, José Eduardo Santos, recebeu uma chamada telefônica de Bush e, horas depois, do vice-presidente Dick Cheney, ambos pedindo apoio para a posição dos EUA sobre a guerra. Há outras razões pelas quais os EUA têm cortejadoAngola: as imensas jazidas de petróleo do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.