Bush: "todas as opções estão na mesa" contra Irã

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, voltou a dizer nesta terça-feira que "todas as opções estão na mesa" para impedir que o Irã desenvolva armas atômicas. Ele afirmou, no entanto, que irá continuar a se focar na opção da diplomacia internacional para persuadir Teerã de desistir de suas ambições nucleares. Bush disse também que deve haver um esforço conjunto da comunidade internacional para que todos "reconheçam o perigo de o Irã vir a construir armas nucleares", e adicionou que autoridades americanas estão trabalhando junto com a Grã-Bretanha, França e Alemanha para resolver a questão. Plano de ação Enquanto Bush fazia seu discurso, diplomatas de seis países se encontraram em Moscou para traçar um plano de ação em relação ao problema iraniano. Estados Unidos e a Grã-Bretanha ameaçam fazer o que for preciso para barrar as ambições nucleares do Irã caso Teerã não cumpra com as ordens do Conselho de Segurança da ONU - de suspender seu o programa de enriquecimento de urânio até o dia 28 de abril. Rússia e China, no entanto, continuam cautelosos quanto a imposição de sanções contra o Irã. Na próxima quinta-feira Bush se encontrará com o presidente chinês, Hu Jintao, para conversar sobre pressões contra o Irã. Teerã, por sua vez, mantém o discurso de que seu programa nuclear tem finalidades pacíficas. Quando o presidente americano foi questionado se seu governo pensa na possibilidade de um bombardeio nuclear contra as fábricas de enriquecimento de urânio do Irã, Bush respondeu que todas "opções estão na mesa".

Agencia Estado,

18 Abril 2006 | 17h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.