Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bush: transição em Cuba deve trazer outro sistema de governo

A transição em Cuba deve significar a passagem de "um tipo de governo para outro diferente", não uma simples substituição de uma figura por outra, e precisa estar guiada pela vontade popular, disse o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.Em entrevista concedida à imprensa latino-americana às vésperasde sua viagem à região, que começa na próxima quinta-feira, 8, Bush disse que, durante o período de transição em Cuba após a morte do presidente Fidel Castro, "a mensagem ao mundo deve ser ´liberdade´"."Esperaríamos que fosse respeitado o direito de se expressarlivremente, sem medo de repressão, de se expressar nas urnas, ealcançar seu pleno potencial através da abertura de mercados", disse o presidente americano."A transição não deve significar apenas a substituição de umafigura por outra, mas a mudança de um tipo de governo para um tipo de governo diferente, baseado na vontade popular", disse Bush na entrevista feita na sala Roosevelt, na Casa Branca.Em sua viagem, Bush deverá visitar países como Brasil, Uruguai,Colômbia, Guatemala e México. Esta é a mais ampla viagem pela América Latina na história de seu mandato. Por esse motivo, ela é considerada uma tentativa de resistir à corrente "anti-americana" liderada por Fidel e pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, no continente.Ao especificar que não sabe "quanto tempo durará" o atualpresidente cubano, Bush disse que "o que não deve durar é o sistema que impôs, se isso for a vontade do povo de Cuba".Medindo cuidadosamente suas palavras, o presidente americanoafirmou que "o povo cubano é o que tem que tomar a decisão".Em referência à cessão temporária do poder de Fidel Castro - cujo estado de saúde é incerto - ao irmão Raúl, Bush afirmou que "é o povo da ilha, que tanto tempo sofreu, que tem que decidir seudestino, que não fique nas mãos de alguém por ser irmão de alguém, mas seja o que o povo quer".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.