Bush volta a advertir Irã sobre armas

Presidente reage à pretensão de Teerã de ampliar influência no Iraque

AP, Efe e Reuters, Reno, EUA, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2029 | 00h00

O presidente dos EUA, George W. Bush, alertou ontem o governo do Irã de que ele precisa parar de armar os grupos insurgentes que atacam os soldados americanos no Iraque e afirmou que a retirada de suas tropas do país permitiria a tomada do Oriente Médio por extremistas. Suas declarações foram feitas horas depois de o presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, tê-lo atacado duramente.Em discurso para milhares de veteranos durante a convenção da Liga Americana, em Reno (Nevada), Bush acusou a Guarda Revolucionária do Irã de dar dinheiro para esses grupos e avisou que o governo de Teerã não pode fugir à responsabilidade pelos ataques às tropas americanas e civis iraquianos. "Autorizei os nossos comandantes militares no Iraque a combater essas atividades criminosas bancadas por Teerã", disse Bush. "Trata-se de uma influência destrutiva que coloca em risco vidas americanas." O discurso foi feito duas semanas antes da divulgação de um relatório dos resultados do envio de reforço militar ao Iraque. Bush reiterou que a retirada das forças americanas do país permitiria a tomada do Oriente Médio por extremistas. "A região se transformaria de forma tão dramática que poderia colocar os EUA e o mundo civilizado em perigo", disse.O presidente americano disse ainda que o programa de enriquecimento de urânio de Teerã pode levar a um "holocausto nuclear". "As ações do Irã ameaçam a segurança de todas as nações. Nós confrontaremos essa ameaça antes que seja tarde demais", advertiu Bush.Pela manhã, em entrevista coletiva de duas horas em Teerã, Ahmadinejad assegurou que "o poder político dos ocupantes (no Iraque) está entrando em colapso". "Logo, veremos um grande vácuo de poder e, claro, estamos prontos para preencher esta lacuna com a ajuda de outros países da região, como a Arábia Saudita", disse. O líder iraniano também criticou as tentativas de Bush de tentar colocar um fim ao programa nuclear de seu país. "Alguns líderes malvados e egoístas pretendem de forma arrogante dizer o que os outros devem fazer."ABU GHRAIBAinda ontem, um júri militar americano absolveu o tenente-coronel Steven Jordan, o único oficial do Exército dos EUA julgado pelos abusos cometidos na prisão iraquiana de Abu Ghraib - o caso veio a público em 2005. O mesmo tribunal condenou Jordan por desobedecer uma ordem superior.George W. BushPresidente dos EUA"Autorizei nossos comandantes militares no Iraque a combater as atividades criminosas de Teerã""As ações do Irã ameaçam a segurança de todas as nações. Nós confrontaremos essa ameaça antes que seja tarde demais" Mahmud AhmadinejadPresidente do Irã"O poder político dos ocupantes está entrando em colapso. Em breve, teremos um vácuo de poder. Estamos prontos para preenchê-lo""Alguns líderes egoístas pretendem de forma arrogante dizer o que os outros devem fazer"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.