Bush volta a ameaçar agir sem a ONU contra o Iraque

O presidente dos EUA, George W. Bush, manteve pressão para que o Conselho de Segurança da ONU aprove uma resolução para a volta dos inspetores de armas ao Iraque. Bush afirmou: "Aqui está nossa estratégia: nossa estratégia é deixar claro às Nações Unidas que desejamos que sejam eficientes. Não queremos que sejam a Liga das Nações. Queremos que sejam as Nações Unidas eficientes. É de sua escolha sê-lo".Bush disse ainda que os EUA expressaram seu desejo à comunidade internacional e ao "Sr. Saddam Hussein de que se desarme. Mas, meus amigos, se as Nações Unidas não agirem, se não cumprirem com sua responsabilidade e se Saddam Hussein não se desarmar, os EUA liderarão uma coalizão em nome da paz para desarmar Saddam Hussein."O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, disse que os EUA não obtiveram progresso real durante as negociações da noite passada para que as Nações Unidas aprovem o texto de resolução proposto pelos Estados Unidos. Ontem à noite, os EUA apresentaram uma nova proposta de resolução ao Conselho de Segurança da ONU, esperando que o grupo definisse um modelo. "As negociações continuam, agora o rascunho da resolução circulou entre as 15 nações (do Conselho de Segurança) e veremos que direção será tomada. Haverá negociações hoje em Nova York", disse Fleischer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.